Metodologia

O caminho do CHS tem vindo a ser construído. Procurou-se, desde sempre, a inovação para a evidência. Várias foram as metodologias estudadas, além-fronteiras, para o conhecimento do sistema nervoso. Complexo, dinâmico, individual, (in)(sub)consciente, …, compreender o seu funcionamento não foi nem é simples. 

Restaurar competências ou adaptá-las para a função?

Para restaurar competências, o conhecimento do corpo é essencial, desde o estudo dos sentidos e seu processamento até aos padrões de movimento, numa análise intra e inter sistemas dirigidas pelo sistema nervoso central. Aqui o pormenor, em interação detalhada no corpo, torna-se o elemento fundamental da análise do movimento para a função. Na adaptação à função, os requisitos físicos moldam o corpo. Todavia, um processo pode complementar o outro. Mas, no CHS, a restauração de competências é basilar numa intervenção pioneira multimodal.


Métodos como o TherasuitRhythmic Movement Training (RMT), Masgutova Neurosensorimotor Reflex Integration (MNRI), DomanPerfetti e Padovan são complementares na formação dos nossos profissionais. Todos desenvolvidos no âmbito da neurologia com o intuito de restaurar competências, e, à luz do CHS, numa convergência comum: integração de reflexos primitivos. 


Reflexos primitivos, o que são?

São padrões inatos incondicionados, ou seja, todo o ser humano é detentor, independentemente da condição de doença. À medida que as experiências vão sendo vividas, sobretudo até aos 3 anos de idade da criança, estes padrões vão sendo integrados, potenciando o desenvolvimento em estadios mais avançados de maturação. Esta integração traduz-se, na prática, pela ausência de respostas positivas a cada um dos reflexos. Desde os emocionais até aos sensório-motores e sua interacção com os sentidos, a maior retenção de padrões, isto é, a não integração, condiciona directamente o neurodesenvolvimento.  

O Reflexo Tónico Cervical Assimétrico como exemplo. Quando a criança roda a cabeça, o lado do seu corpo homolateral adopta extensão e o contralateral flexão, tal e qual a posição de esgrimista, vulgarmente designado. É desenvolvido no período intra-uterino, primordial para a sobrevivência do bebé, evitando a asfixia em decúbito ventral, e integrado aproximadamente aos 6 meses, idade de resposta negativa ao teste (rotação passiva e/ ou activa da cabeça). É um reflexo que interage sobretudo com os sentidos proprioceptivo (posicionar o corpo para evitar a espada), visual (visualizar a espada) e auditivo (ouvir o som da espada), grandes fontes na aprendizagem e conexões subjacentes. A sua retenção, condiciona, portanto, as aquisições. Assim, crianças com tendência a sentar com transferência de carga assimétrica, normalmente para o lado que a cabeça está rodada, défice de orientação espacial e de lateralidade, não cruzamento da linha média central, estrabismo, pupilas anisocóricas até situações mais específicas como a dislexia e inerente consciência fonológica, podem estar relacionados.

No CHS, a avaliação dos reflexos primitivos e sua interacção com os sentidos é realizada: Medo Paralisante, Moro, Tónico Labiríntico Anterior, Babkin e outros orais, Tónico Cervical Assimétrico, Tónico Cervical Simétrico, Galant, Preensão Palmar e Plantar, Babinski, Tónico Labiríntico Posterior e Landau, entre outros, pelas especialidades de Fisioterapia, Terapia Ocupacional e Terapia da Fala. Não menos importante, a ligação destes padrões com os sentidos, sobretudo a visão, propriocepção e vestibular. Ainda no exemplo da retenção do Tónico Cervical Assimétrico, uma criança com estrabismo na fase de aquisição da marcha, com défice de transferência de carga para a direita, na subetapa de oscilação apenas permite 2 a 3 passos e colapsa. Provavelmente, as alterações visuais (estrabismo) condicionam a propriocepção (transferência de carga médio lateral) e as informações vestibulares (oscilação e subsequente propulsão antero posterior). Com frequência esta mesma criança apresentará dificuldades na consciência fonológica e articulação. Existe, portanto, necessidade de actuação a estes níveis com foco de integração deste padrão inter e intra disciplinar. É aqui que o CHS implementa os seus planos de intervenção com ênfase na singularidade de cada caso, conhecimento, e operacionalização de um trabalho de equipa onde todos os elementos convergem a sua prática. Métodos como o Rhythmic Movement Training e o Masgutova Neurosensorimotor Reflex Integration foram impulsionadores deste raciocínio. 

Um dos métodos que também nos conduz à análise dos padrões de movimento, normal ou anormal, funcional ou disfuncional, é o Therasuit. A avaliação das sinergias musculares e sua simetria e/ ou assimetria torna-se crucial. De certo modo, a retenção de padrões primitivos, origina pobre dissociação de movimento e por sua vez, assimetrias musculares, as ditas alterações posturais. 

Ainda no caso da retenção do Tónico Cervical Assimétrico, com rotação predominante à esquerda, a criança dotará um esternocleidomastóideo à direita, serrátil anterior e deltóide à esquerda, oblíquo à esquerda e vasto lateral à esquerda, por exemplo, mais hipertróficos do que os contralaterais. Assim, o fortalecimento muscular deverá ser executado de modo criterioso no sentido de alcançar a simetria, uma vez que os músculos também comunicam entre si, através das sinergias, minimizando o gasto energético na execução de actividades. Quanto mais simetria, melhor recrutamento muscular e sinergias adequadas serão obtidas assim como menor energia despendida traduzida em qualidade de movimento. Tudo isto origina a economia do sistema nervoso. 


Métodos cujas premissas também corroboram desta economia do sistema nervoso são Padovan e Doman. A retenção dos reflexos primitivos promove assimetrias musculares e suas alterações posturais contribuindo para um desempenho diferente daquele que poderia ser um desempenho optimizado senão tivessem retidos. Assim, recapitular o desenvolvimento independentemente do estadio sensório-motor adquirido e idade, com base na ontogenia e filogenia, proporcionando este desempenho optimizado é objectivo de ambos os métodos. 

Por isso, com patologia ou disfunção, a evolução, o tal desempenho optimizado, pode ser aplicada em qualquer indivíduo com base na integração dos reflexos primitivos e outros métodos aqui descritos que certificam o método pioneiro e multimodal do CHS.